Exposição A Beleza das Fobias

Nasci em Ouro Fino, Minas Gerais, em 1992, em uma família de artistas que sempre apoiaram meu desenvolvimento artístico. Desde criança tive gosto pela Arte, não só desenhando muito, mas pensando em como poderia aprimorar minhas habilidades, e desde muito nova sou autodidata. Por volta dos 10 anos, comecei com trabalhos inspirados em mangás (desenhos japoneses), depois, por volta dos 13, me aprimorei fazendo releituras de fotografias e imagens.

Foi na adolescência que decidi tomar a Arte como profissão. Em 2013 me formei Bacharel em Artes Plásticas pela Faculdade Santa Marcelina (SP). Trabalhei na Bel Galeria de Arte & Leilão, em 2011. Participei da Publicação da edição de 19 exemplares do Projeto Experimental Ex-Líbris, do terceiro ano de Artes Plásticas e Educação Artística da Faculdade Santa Marcelina, em 2012; e da exposição coletiva “29º Anual de Artes Visuais” na FASM, em 2013; e fui membro participante da Associação Brasileira de Aquarela, em São Paulo, de 2013 a 2014. Trabalhei também com restauração de móveis em conjunto com meus pais, que tinham a restauração como profissão.

Em meus trabalhos busco abordar questões pessoais, sentimentos e ideias, com o intuito de transpor ao público as mesmas questões, para refletirem e analisarem. O surrealismo e o lúdico trabalham e caminham junto a estas questões, partindo do subconsciente.

O trabalho, “A Beleza das Fobias”, trata do anseio da superação das minhas fobias de aranhas e borboletas. Através da elaboração de pinturas em aquarela, coloco elementos simbólicos, que são reconfortantes para mim, em conjunto com os insetos, sendo eles: partes do meu corpo que remetem ao feminino e o materno; flores que remetem a natureza e o belo. Com este trabalho espero que as pessoas pensem a respeito de suas próprias fobias (medos pessoais), de uma forma positiva e tornem o assunto mais leve para si mesmas.

Sarah Ferreira Gomes dos Santos

Telefone: (19) 3645-9504
Celular: (11) 96449-6907
Email: sarah_18fgs@hotmail.com

Sites:
Facebook
Behance

Exposição Trajetória

Exposição Trajetória
A Arte de Concetta Maiurro Carrara
De 05 a 30 de junho de 2017
Artista visual autodidata há 39 anos

Com a palavra, a artista:

“Nasci em Americana, filha de italianos.
Estudei no Educandário Divino Salvador, no Instituto de Educação Presidente Kennedy e formei-me na Faculdade de Letras de Piracicaba.
Como Professora de Língua Portuguesa, dei aulas em diversas escolas de Americana, efetivei-me na escola Dilecta Ceneviva Martinelli e ultimamente lecionei na escola Dr. Heitor Penteado.”

“Comecei a pintar quando tinha uns vinte anos de idade.
Pintava e dava os quadros de presente para amigos e parentes, treinando minhas habilidades.
Sou predominantemente autodidata, mas também tive vários professores de pintura durante a minha trajetória.
No ano de 1997 resolvi pintar novos quadros para minha casa, e nesta ocasião me identifiquei com os abstratos.
Em 2005 morei um ano na Itália, onde pude estudar na Universidade para Estrangeiros, visitando vários museus e exposições de arte.”

“Busco inspiração observando a natureza e a vida cotidiana, desenvolvendo minha própria linguagem de criação, buscando texturas e materiais diversos.
Depois de estabelecer mentalmente um novo projeto, quero logo concretizá-lo em tela.”

Contato: (19) 98115.2901

Expo Pintura em Família

PINTURA EM FAMÍLIA
De 08 a 31 de maio
Exposição de trabalhos artísticos de Delcacio Joaquim da Silva, Carolina Aparecida Silva, Gisele Furlan e Delcacio Silva.

“Esta exposição mostra a arte não somente como uma forma de expressão, mas também como uma forma de ocupação, seja ela espiritual ou física, sem ligações ao uso exaustivo de determinada técnica e ao conteúdo que se deseja passar ou mostrar através do conceito subjetivo que é a arte em si.

Somos quatro pessoas conectadas através do desejo de “fazer arte” sem a preocupação exagerada do que é e se ela realmente necessita de um significado, demonstraremos o aprendizado neste pouco contato com pintura sobre telas, que é de cerca de dois anos e meio. Nossa professora, Mag Beltramelli, procura em nós a satisfação individual que cada um deve ter com sua arte e trabalha para levar isso para nossas telas, sempre com dedicação e incentivo. Por acaso também temos outra conexão, uma mais “permanente”, fazemos parte da mesma família que se junta para levar um pouco do que a simples vontade pode fazer, onde talento é uma palavra vaga se você gosta realmente do que produz e como a arte está presente, em qualquer um.

A maioria das telas são baseadas em outros trabalhos, mas há também o ineditismo, seja no todo ou em algum detalhe, pois a mudança do meio de comunicação também produz originalidade.

Delcacio Joaquim da Silva, 83 anos, médico veterinário aposentado, descobriu que poderia ter a pintura de telas como um hobby, nesse contato tardio uma parte sua despertou e hoje não consegue se imaginar sem a pintura, adora presentear seus quadros.

Carolina Aparecida Silva, 67 anos, professora aposentada que voltou a pintar depois de muito tempo sem contato com a pintura de telas, adora paisagens, sejam elas naturais ou construções, coleciona quadros de várias técnicas mas prefere a óleo.

Gisele Furlan, 27 anos, designer gráfica, sempre teve a arte presente em sua vida mas nunca tinha tentado a pintura sobre telas e está sempre procurando novas técnicas e conceitos em suas pinturas, assim como se esforça para buscar a arte que mais lhe agrada e que condiz com seus sentimentos.

Delcacio Silva, 39 anos, arquiteto, sempre gostou de arte e suas representações, agora que um novo capítulo foi aberto, busca as mais variadas formas de reproduções e técnicas: paisagens, natureza morta, faces, hiperrealismo, etc.”

Contato – Delcacio Silva – (19) 3604.4331

Matéria sobre a expo no site do “Liberal”: http://liberal.com.br/cultura/arte/exposicao-pintura-em-familia-ocorre-na-biblioteca-de-americana-581411/

Expo Ocupa 2017

Ocupar
Verbo.
1. Transitivo direto – preencher ( um espaço ), encontrar-se em.
2. Transitivo direto – estar na posso de, exercer.
3ª edição da exposição coletiva de arte OCUPA, realizada anualmente na Biblioteca Municipal Jandyra Basseto Pântano, ocupando espaços, apresentando novos artistas da região a cada edição. Neste ano expondo trabalhos de:

Amanda Paschoal é ilustradora, quadrinista e designer. Formada técnica em moda e comunicação visual, possui experiência trabalhando em têxtil e publicidade. Em suas ilustrações existe a exploração da agressividade e a busca pelo tangível na técnica digital.
https://paschoalamanda.tumblr.com/ 

Isadora Fernandes é formada em Artes Visuais pela UNICAMP. Trabalha sobretudo com colagens e ilustrações, sempre de forma analógica; dividindo estas linguagens em diferentes buscas poéticas. Suas produções mais caras refletem sobre aspectos da memória, do esquecido e do âmago dos sentimentos íntimos acerca da profunda relação que estes aspectos apresentam com a imagem.
http://cargocollective.com/isadoraferns
http://oadiloss.tumblr.com

Renan Silva artista de Santa Bárbara d’Oeste, assina as suas artes como Vida Torta. Com um estilo que mistura ilustração e surrealismo, desenvolveu ao longo dos anos uma linguagem própria, utilizando o dia a dia, o imaginário e os acontecimentos da vida como fonte de inspiração.
https://www.facebook.com/vidatorta/
https://www.instagram.com/vida_torta/

Matheus Souza Em suas obras é evidente a deturpação de estruturas sociais presentes, por meio de signos e imagens que colocam em cheque a moralidade conservadora de nossa sociedade provocando justamente esse desconforto por escancararem símbolos, corpos e ícones que nos são tão comuns, transformando-os em caos, em desordem, em universos intragáveis.
https://omatheussouza.wordpress.com/
https://www.instagram.com/mmldsouza/

Quatro artistas de diferentes estilos e histórias, pra apresentar cada um sua visão particular do mundo.
A exposição vai do dia 01 a 30 de abril, e contará com um evento de abertura no sábado, dia 01, onde haverá dois shows acústicos de músicos da cidade – Meu ano fantasma, projeto solo de Lucas Arissa vocalista da banda Hurry up e Douglas Prado, além de uma intervenção com projeção mapeada do VJ Paulo Cantowtiz do coletivo Undercurrent. No evento ainda teremos os projetos Com carinho salgado vegan e Viva La Vegan direto de Piracicaba com suas delicias veganas, totalmente livre de exploração animal.

O evento começa pontualmente as 14:00 horas e é gratuito.

https://meuanofantasma.bandcamp.com/releases
https://soundcloud.com/douglas-prado-am
https://www.facebook.com/vjpaulo/
https://www.facebook.com/comcarinhovegan2/
https://www.facebook.com/vivalaveganfood/

Exposição Imagens da Arte

exposicao-imagens-da-arte

EXPOSIÇÃO: IMAGENS DA ARTE
Trabalhos visuais da doutora, e artista, Luciana Zabeu.
De 06 a 24 de fevereiro

Luciana Amim Zabeu

Nascida em Americana, a 05 de janeiro de 1968. Formada em medicina pela Unicamp em 1990, especialista em Ginecologia e Nutrologia, atuando em consultório nessas duas áreas.

A formação artística só veio mais tarde, pois apesar de sempre desenhar, não havia tempo no início da carreira profissional para outras atividades.

Quando a oportunidade surgiu, frequentou o curso de desenho artístico da Escola Art e Design, com o professor Walcirlei Cesar Siqueira, que ensinou a base para o desenho artístico e a pintura em tela. Posteriormente, frequentou o curso de hiperrealismo com o professor Du Dominici, também para desenho e pintura.

Com os ensinamentos destes dois grandes artistas, conseguiu desenvolver a técnica necessária para expressar sua necessidade de desenhar e pintar.

img_20170206_161106

Sobre a exposição:

O nome “Imagens da Arte” surgiu pelo fato de os trabalhos aqui expostos terem como tema a Arte em si, como o cinema, a música e a arquitetura. São imagens que me agradam e que quis reproduzir da maneira como as vejo.

Contato:
lu.zabeu@gmail.com

Exposição “Olhares e Sensações” – Tiago Bueno

 

IMG_6873[1]Transmitir as sensações vividas através da arte é possível? É isso que o artista Tiago Bueno mostra em sua exposição “Olhares e Sensações”, que acontece do dia 08 ao dia 31 de agosto, na Biblioteca Municipal de Americana.

Nascido em Bastos, interior de São Paulo, e formado em Artes Visuais, Tiago está em contato com a arte desde o ensino fundamental: “as minhas matérias preferidas sempre eram as de arte, e eu já mentalizava que era aquilo que eu queria para a minha vida.”

Através de experiências e relacionamentos interpessoais, o artista retrata nesta exposição emoções vividas por ele, de experimentações diárias, sejam essas boas ou ruins: “as minhas sensações são transmitidas para a arte pelo olhar” conta Tiago, que também diz que foi a partir disso que surgiu o nome da exposição.

O artista relata que desenvolveu um projeto de pesquisa durante a faculdade, no qual ele estudava arte para psicóticos, mostrando como ela pode se tornar uma terapia. Tiago comprovou por si, a eficácia disso e explica: “a pessoa que entra em contato com as minhas pinturas vai ter uma experiência com a arte, que provocará algum efeito nela, aguçando sentidos e comprovando a arte como uma terapia”.

Utilizando cores de acordo com seu humor e pintando, entre diferentes coisas, muitos rostos de mulheres, Tiago nos fala que o humor influencia muito na hora de desenvolver seu trabalho. Tudo aquilo que é sentido, é passado para o papel, fazendo, assim, transparecer a alma.

“Eu tenho vontade de poder levar essa exposição adiante, com a intenção de me tornar um artista com mais experiência, e começar a pintar em tela, mas uma das minhas grandes vontades mesmo, é que as pessoas vissem meu trabalho e reconhecessem, porque acho que é algo muito necessário para todo artista, que precisa ser mais valorizado”, diz Tiago.

A exposição é aberta ao público, e gratuita.

Texto de Gabriela Cunha

Expo Fono – Contando Histórias

Expo Fono.EXPOSIÇÃO “ExpoFono: Contando Histórias”
De 03 a 30 de novembro

1ª Mostra de textos e desenhos produzidos por crianças em atendimento na Clínica de Fonoaudiologia da Secretaria de Saúde de Americana.

A ideia deste projeto surgiu a partir do trabalho desenvolvido no acompanhamento fonoaudiológico de crianças com alteração de linguagem, seja no campo da leitura e escrita ou mesmo nas alterações de fala.

Três obras literárias foram lidas e interpretadas, gerando textos e desenhos.

A exposição destes trabalhados na Biblioteca tem o objetivo de estimular a arte da leitura, das narrativas, trazendo os usuários da Clínica de Fonoaudiologia para o “mundo dos livros”, além de promover o trabalho terapêutico desenvolvido.

Os livros trabalhados estão disponíveis no acervo da Biblioteca: O pega-pega (Eliardo e Mary França), O gato e o novelo de lã (Liliana e Michele Iacocca) e Maria vai com as outras (Sylvia Orthof).

CLÍNICA DE FONOAUDIOLOGIA: (19) 3461-1621